O planeta Júpiter

Escrito por Andreia

Júpiter, o grande benéfico.

O que é preciso saber sobre Júpiter:


Júpiter rege o signo de Sagitário e nos informa sobre as ambições do ser. Seja no plano humano, social ou espiritual, o planeta gigante (o maior do sistema solar) tende a amplificar e multiplicar aquilo que toca. Então, podemos esperar o melhor do Deus dos Deuses... assim como o pior! Se Saturno tende a organizar os planos e a construir, a estruturar o nosso comportamento e a nossa existência, Júpiter dará fôlego para a construção e vida à estrutura.


Provedor de grandes oportunidades, podemos contar com sua presença para animar, colocar em movimento e, muitas vezes, desencadear acontecimentos, provocar o encontro que nos permitirá habitar e alimentar os grandes ciclos de transformação regidos e anunciados pelos planetas pesados (Plutão, Netuno, Urano e Saturno), cuja lista ele fecha com requinte! Júpiter tem a reputação de ser um grande provedor de generosidades, de favorecer a expansão em todos os planos da vida e ele, muitas vezes, representa a boa sorte que cai do céu! Mas desconfie dessa visão muito otimista e, portanto, muito jupteriana, pois se Júpiter promete a lua, não se esqueça de que ele governa por tradição o relâmpago e pode também golpear e destruir!

Júpiter em nosso mapa:


Onde Saturno leva imitação, estresse e, às vezes, negação, Júpiter nos convida a expandir nossos horizontes e a forçar nossas barreiras do possível. Não é uma questão de medir e conter, mas sim de expandir, crescer... prosperar. Sob a tutela de Júpiter, o ser se afirma, procura e encontra seu lugar na sociedade, visa conseguir sua integração e, às vezes, chegar ao topo. Sob a tutela de Júpiter, nós enxergamos longe, enxergamos muito... às vezes, tudo!

Assim, o planeta aumenta nossas aspirações e, dependendo do lugar que ele ocupa em nosso mapa astral, exacerba nosso desejo de reinar no plano material e social, nos incitando a nos superar para atender nossos objetivos e, paralela, mas essencialmente, obter a aprovação da sociedade. Desta forma, todas as profissões que conferem, de uma maneira ou de outra, honorabilidade e que inspiram respeito serão assimiladas à função jupteriana. Os juízes, professores e líderes de todos os tipos representam simbolicamente o desejo de impor, o desejo de reconhecimento relacionado com a natureza generosa, ambiciosa e, por vezes, excessiva do planeta. E para aqueles que não se satisfazem mais com as pequenas glórias temporárias, o plano filosófico ou espiritual representará o desenvolvimento final do poder de Júpiter, que adora ditar as leis e arbitrar as mudanças na Terra... Ele gosta de exaltar nossos ideais e de ampliar nossa capacidade de transcender este mesmo plano terrestre para nos levar aos céus!

Júpiter é frequentemente representado na mitologia por uma águia que, com as asas abertas, paira sobre as multidões e, portanto, se eleva acima da condição humana e exprime nossa necessidade do divino, mas também nossa sede de descoberta, nossa vontade de fugir, de viajar, de explorar outros países e de expandir nossos limites até as mais altas regiões do espírito! As personalidades marcadas pelo planeta serão frequentemente tentadas a se expatriar, elas escolherão uma atividade que as levará para longe de seu locar de nascimento e florescerão assim que pegarem a estrada... para outro lugar! Júpiter abre as portas e favorece à priori as graças do céu, alimenta nossa imaginação e, muitas vezes, desencadeia oportunidades que permitem que nosso destino se escreva...

No entanto, tome cuidado para não abusar do poder conferido pelo planeta de todos os possíveis e, paralelamente, de todos os excessos para não ceder a nossas tendências à megalomania, desperdiçar nossa preciosa energia e adotar comportamentos bulímicos. Tome cuidado para não cair na deriva daquelas pessoas que, “devoradas” pela ambição, arriscam, mais cedo ou mais tarde, serem chamadas por Saturno, que punirá seus excessos... e as colocará face a face com suas responsabilidades, as privando de tudo!

Júpiter no plano físico representa a função hepática, a qualidade do sangue e de seu fluxo e corresponde aos quadris e às coxas... Ele estimula nosso entusiasmo, multiplica nossos impulsos generosos e, se conseguirmos canalizar as forças vivas que ele gera naturalmente, pode permitir que nós atinjamos um ideal, seja ele terrestre, mundano ou, em última instância, divino.

Júpiter hoje:


A partir de 8 de novembro de 2018 (até 2 de dezembro de 2019), Júpiter em Sagitário vai impulsionar o nosso idealismo e, se conseguirmos manter os pés no chão (pelo menos um), o gigante do zodíaco poderia muito bem nos conduzir pelo caminho da realização pessoal e coletiva, material e espiritual! Podemos, assim, esperar sair definitivamente de uma crise que nos afunda desde 2008 e retomar o controle. As finanças do país podem sair do vermelho e as flutuações ascendentes de nossas contas pessoais aumentarão nossa moral! Cabe a nós, no entanto, evitar erros de conta e estimativas irreais! O lado sombrio de Júpiter às vezes nos leva a superestimar nossos potenciais e nossas chances! Devemos, no entanto, abordar e desdobrar este novo ciclo impulsionados por um otimismo renovado e, talvez, nos preparar para aproveitar o voo de algumas grandes oportunidades para abrir novos caminhos e embarcar sem mais demoras em novas aventuras!

Amigos sagitarianos, a chegada de Júpiter ao seu signo solar geralmente anuncia boa sorte e os convida a se valorizar, a desenvolver novos potenciais ou a expressar seus talentos mais abertamente. Portanto, não fiquem em segundo plano, mas conquistem a frente do palco e brilhem com todos os seus fogos sem exceder os limites ou alimentar sonhos irrealistas demais!

Júpiter amanhã:


A partir de 2 de dezembro de 2019, Júpiter migrará (até 19 de dezembro de 2020) para Capricórnio! Entre a natureza expansiva do gigante do zodíaco e o lado austero do signo, dificilmente podemos esperar por afinidades eletivas! Contatos sociais podem ser um pouco travados e todo otimismo exagerado pode tomar... um banho de água fria! Será hora (e a conjuntura cósmica geral nos convidará expressamente a fazer isso) de nos virarmos para nós mesmos e privilegiarmos a reflexão profunda em detrimento do entusiasmo exagerado. Deveremos tomar as decisões necessárias (e, para alguns, já em janeiro de 2020) que nos permitirão, se não nos divertir, iniciar profundas mudanças sociais e viradas indispensáveis e inevitáveis! Portanto, é um encontro construtivo entre o signo e o planeta, mesmo que isso sugira um período não necessariamente muito... Divertido!


Para saber:

*Exílio de um planeta: Quando um planeta se encontra situado no signo oposto àquele que ele governa! Sua energia será mais difícil de ser canalizada, utilizada positivamente e, sobretudo, conscientemente. Seu poder de radiação e de ação será diminuído e exigirá que a personalidade evolua para aprender a administrá-lo com bom senso.

*Exaltação de um planeta: Quando um planeta se situa em um signo que exalta suas capacidades. Em câncer, Júpiter é atraído para a fonte maternal (a Lua rege este signo fértil) para se alimentar, se desenvolver, se expandir e difundir sua natureza generosa...

*Signos cardeais: Áries, Câncer, Libra e Capricórnio nos convidam a agir, a iniciar mais do que construir. Situando-se respectivamente no começo de quatro trimestres e estações (Áries e o começo do Outono, Câncer e o começo do inverno, Libra e o começo da primavera e Capricórnio, que inaugura o verão), estes signos normalmente dão o impulso para começar alguma coisa, iniciar um ciclo, mas nem sempre o suficiente para construir.



0 comentário - O planeta Júpiter



Pergunta de segurança :


* Informação obrigatória. Seu e-mail não será exibido e só será utilizado em caso de abuso.





Este site usa cookies para melhorar sua experiência.